Review: Doutor Estranho

segunda-feira, novembro 14, 2016

Estou atrasada nessa resenha, porque já faz algumas semanas que eu assisti Doutor Estranho, mas antes tarde do que nunca! Esse filme não traz aquela história tradicional de super-heróis, com várias cenas de lutas. Doutor Estranho tem uma pegada mais mística, com efeitos psicodélicos e diferentes do que estamos acostumados a ver em filmes da Marvel. 

O personagem principal é Stephen Strange, um neurocirurgião renomado, porém muito soberba e arrogante, Então, a caminho de uma palestra, Stephen perde o controle do carro e sofre um grave acidente, onde acaba perdendo o movimento das mãos, e consequentemente, sua carreira. 

Ele faz de tudo para tentar recuperar os movimentos, mas todas as alternativas da medicina tradicional que ele busca, são em vão. Sua última chance é buscar a cura em uma cidadezinha no Nepal, onde há supostos monges místicos que realizam milagres. Lá em Kamar-Taj, ele conhece a Anciã, que lhe apresenta à magia e aos multiversos e aos poucos, vai aprendendo como sua mente pode ajudar em sua recuperação.


Stephen descobre que lá não é apenas um lugar de cura espiritual, mas também, um espaço onde Mestres e a Anciã protegem a Terra contra as forças ocultas do mal, que incluem Kaecilius, um antigo aprendiz que resolve se aliar ao lado negro. Dr. Strange acaba adquirindo poderes mágicos e fica então com a dúvida: volta à sua vida normal ou defende o mundo como o feiticeiro mais poderoso que já existiu?

Doutor Estranho é uma aposta bem sucedida, um pouco diferente dos filmes clássicos da Marvel, mas com um novo universo muito bem explorado. Stephen é um homem cético, que acredita demais na ciência, então, vê-lo abandonar todos os seus conceitos para seguir os conselhos da Anciã é muito interessante. 

Ele demora para acreditar e aceitar que exista um universo paralelo com magia e coisas que ele não conhece. E ele é forçado a aprender a lidar com seus poderes muito rápido, mas demora bastante para executar seus feitiços, e eles falham na hora que ele mais precisa. Mas é lidando com os problemas sob pressão que ele aprende e decide lutar contra o mal. 


O roteiro é muito bem desenvolvido e apesar da abordagem diferente, as cenas de lutas e ação continuam presentes. As cenas com magia são um espetáculo à parte e os efeitos especiais não deixam a desejar. Os personagens são fortes e bem desenvolvidos. Apesar de não conter muitos atos heroicos, o final do filme já revela que haverá uma continuação, então, talvez, poderemos ver um Dr. Strange conectado ao universo dos Vingadores. 

Com um toque divertido e sombrio, Doutor Estranho não deixa a desejar e vale super a pena conferir o resultado do longa nos cinemas. E ah, a capa vermelha do Doutor Estranho é muito divertida... 

Alguém aí já foi ver nos cinemas? O que acharam? 
Beijos!

Leia esses também

9 comentários

Seguidores