Resenha: Apenas Um Garoto - Bill Konigsberg

sábado, agosto 13, 2016


Rafe se assumiu gay aos 13 anos e nunca teve nenhum problema com isso. A sua família sempre o apoiou e nunca foi vítima de bullying na escola, mas tanto sua vida, como de todos ao seu redor, mudou. Sua mãe passou a frequentar um grupo de apoio (e depois se tornou presidente) onde gays e seus pais debatiam sobre sexualidade. Para ele, isso nunca foi um problema, mas com o passar do tempo, Rafe começou a se sentir incomodado em ser sempre lembrado como o "garoto gay". 

Então, ele decide se mudar para um colégio apenas de garotos, onde não conhecesse ninguém e pudesse ser apenas Rafe e não o garoto gay. E seu plano de não contar para ninguém sobre sua sexualidade funciona muito bem, já que ele é acolhido pelos garotos do time de futebol e logo já faz vários amigos. Mas se apaixonar por um desses garotos héteros não estava em seu plano...

“Eu silenciosamente me despedia de uma parte de mim: meu rótulo. Aquela palavra que me definia como uma coisa só. Muitas vezes isso me limitava.”


Esse foi um daqueles livros que mal havia chegado aqui em casa e eu já comecei a ler. E juro, eu não parei até terminá-lo. A trama te envolve de um jeito que você não consegue parar. Você quer desesperadamente saber o que vai acontecer com o Rafe, se seu plano vai dar certo ou se ele vai contar para alguém seu segredo. É muito viciante e nos faz refletir sobre todos esses rótulos que a sociedade impõe nas pessoas, e que em muitos dos casos, elas não gostam.

Não é apenas o bullying que é chato. Rafe só queria que as pessoas o conhecessem de verdade, como um garoto normal que faz coisas normais, e não ser conhecido e lembrado apenas como o garoto gay. Ele queria fazer coisas que todos os garotos fazem sem sempre ser taxado e julgado como 'diferente'. 

 Não acho que ser gay seja uma maldição. Definitivamente não é. Mas sabemos que sair do armário traz um monte de coisas que tornam a vida mais difícil. Mesmo que você tenha pais maravilhosos e uma escola que o trate bem, a revelação acrescenta algo à sua vida. O pior é como todo mundo olha para você de um jeito diferente. Eu fiquei cansado de ser olhado.


Rafe é um protagonista incrível e muito bem construído, e os demais personagens também são maravilhosos. Você acaba simpatizando MUITO com os pais do garoto, porque eles são super engraçados (afinal, não são todos os pais que fazem uma festa quando o filho se assume gay, né?) e o professor de Rafe também tem um grande papel em ajudá-lo a descobrir quem ele é de verdade

O foco da história não é o romance, mas claro que eu, manteiga derretida que sou, não podia deixar de citar. É muito bonito acompanhar Rafe se apaixonando por um de seus melhores amigos, Ben, e ao mesmo tempo que quer ficar com ele, não quer destruir a amizade entre os dois por Rafe ser gay e Ben, hétero. Não é clichê. A forma como os dois começam a se conhecer melhor e compartilhar momentos, é muito bonita. Ver como Ben vai se descobrindo e tentando entender o que ele é - hétero? gay? ou bi? - também é muito bem escrita e gostosa de acompanhar. 


O final também foi algo que me deixou satisfeita. Não houve aquela mudança dramática e impossível e nem um milagre onde tudo fica perfeito de uma hora para a outra. É algo bem real e que nos deixa refletir por um bom tempo. Não esperava que esse livro fosse me prender tanto e nem que eu fosse me apaixonar tão rápido pela história. A escrita do autor é muito envolvente e ao mesmo tempo que ele cria algo simples, ele escreve de uma forma muito bem elaborada. 

Gostaria de ficar horas discutindo sobre esse livro, mas daqui a pouco a resenha vira um novo livro! Ninguém escolhe ser homossexual e é legal ver como essas pessoas se sentem de verdade, ao assumir uma sexualidade diferente e como, às vezes, a sociedade pode ser cruel, julgando, rotulando e muitas vezes, criticando e humilhando. É um tema que está em alta ultimamente e que vale a pena ser discutido.

Apenas um Garoto é um livro leve, bonito, e muito gostoso de ler, com um tema que ainda é bem complicado. Vale super a pena a leitura! E nem preciso dizer que recomendo!! Espero muito que tenham gostado da resenha!

Título original: Openly Straight | Autor: Bill Konigsberg | Editora: Arqueiro | Ano: 2016 | Páginas: 256 | Adicione no Skoob
♥♥♥♥♥

E vocês? Gostaram do livro? Já leram ou querem ler? Me contem nos comentários!

Beijos!!

Leia esses também

12 comentários

Seguidores