Adeus 2013

segunda-feira, dezembro 16, 2013


Esse é só mais um texto comum, no qual eu relato sobre o que foi esse ano para mim. Eu poderia defini-lo com apenas uma palavra, mudanças. Analisando todas as coisas pelas quais passei, tive uma grande onda de mudanças esse ano, na realidade, ainda estou passando por um processo de descobertas, aceitações e despedidas.
Lembro-me do dia 1 de janeiro de 2013, eu estava em uma chácara e havia fechado os olhos e pedido "seja bom, apenas faça cada dia valer a pena", mal sabendo que meu desejo seria atendido. E vendo agora o resultado de todas as minhas atitudes inconsequentes, vejo que realmente valeu a pena.
Eu não tenho um histórico muito bom, não sou normal. E eu não gosto de ser classificada como normal. Na verdade, eu não gosto de ser classificada. Talvez isso me faça diferente de todos. Eu realmente não me importo com o que irão pensar sobre mim. No decorrer da minha vida aprendi um turbilhão de coisas. Aprendi que quando nossos pais falam que somos lindas, eles não estão se referindo apenas à beleza física, mas também à beleza da alma. Aprendi que nossos amigos sempre vão querer o nosso bem, por mais que possam parecer chatos, eles apenas querem nos ver felizes. Descobri que as pessoas são cruéis, que nós sempre nos decepcionamos com aqueles que menos esperamos e por isso intitulamos como "decepção"
Na vida cada momento é único e insubstituível. Não podemos voltar no passado para reviver cada coisa boa, por isso sempre nos falam que devemos viver cada momento intensamente. Atualmente eu posso afirmar que não voltaria no passado para refazer minhas escolhas. Cada atitude minha me trouxe uma onde de aprendizagem que eu sempre carregarei comigo.
Dessa forma, posso concluir que, pela primeira vez eu gostei do ano que tive. Em 2013 ganhei, perdi e fortaleci amizades, assim como pensei estar apaixonada diversas vezes, graças a Deus me enganei em todas elas. Comecei 2013 como uma pessoa triste, que possuía uma autoestima negativa, tinha problemas emocionais e psicológicos e julgava que a vida era uma grande droga. Tenho orgulho de falar que irei terminar o ano como uma nova pessoa, alguém que se ame. Pois, meus caros leitores, se não nos amarmos em primeiro lugar, quem irá amar?
 Aprendi da forma mais dolorosa possível, que as pessoas mentem, traem e machucam.  Tive meu coração triturado e jogado ao lixo e, quando isso aconteceu, eu me joguei no lixo. Afundei-me em mentiras contadas por alguém que eu pensava amar. Mas nenhuma dor é eterna. Aprendi lendo um livro que a dor precisa ser sentida, para então ser superada. Eu demorei algum tempo para superar a dor, e consequentemente,
demorei algum tempo para poder me aceitar.
Então, eu finalizo este texto com uma mensagem para vocês: Não importa a religião ou fé que você tenha, nunca subestime o poder de Deus e, em hipótese alguma desvalorize o amor dos seus amigos e da sua família, pois não importa quantas paixões entrem na sua vida, no final, apenas os verdadeiros permanecem no seu lado. Ah, e não se preocupem, o mundo começa a nos surpreender positivamente quando menos esperamos.

Um Feliz Natal para vocês, da Bibi

Leia esses também

14 comentários

Seguidores