Resenha: 1984 - George Orwell

terça-feira, outubro 07, 2014


Bom dia, boa tarde, boa noite, eu sou o Fried, e eu voltei, depois de anos, eu postei.Vou falar aqui sobre o melhor livro que eu já li: 1984, de George Orwell.

Bom onde começar? Pela capa! (eu sou muito engraçado, ha-ha-ha).


Apesar do título, 1984 é de 1949. Confundiu? Eu explico. O livro é de 1949, e mostra um futuro em 1984, onde todos são vigiados, e qualquer coisa que você falar, ou não, pode e vai ser usado contra você.
O livro se passa em Londres, ou, segundo o livro, a Pista No. 1, já que, nesse futuro, o mundo foi dividido assim:

(Em laranja, a Oceânia , em amarelo, a Eurásia,e, em verde, a Lestásia. Em cinza, as áreas sob disputa.)

O personagem principal chama Winston Smith, e trabalha no Ministério da Verdade, um lugar que é explicado pela excelente frase: "Quem controla o passado, controla o futuro. Quem controla o presente, controla o passado."  E é agora que complica. 
Em 1984, todos são vigiados e controlados, de um jeito que, se o governo mudar a quantidade de chocolate mensal de todos, isso será maior, independente do que jornais antigos falaram, sempre aumenta. E isso é o trabalho de Winston, pegar recortes de jornais antigos, mudar o que mandam, e queimar o original, e eles fazem com tudo, jornais, livros, enciclopédias, tuso para mudar o passado conforme o necessário.
Além disso, existe a Novílíngua, uma língua que vai encurtando as palavras, para que não haja palavras ruins, um exemplo é que não existem pessoas e mortos, mas pessoas e não-pessoas. Sim, é complicado.
Agora, um trecho retirado diretamente do livro, explicar o termo Duplipensar

"Saber e não saber, estar consciente de sua completa sinceridade ao exprimir mentiras cuidadosamente arquitetadas, defender simultaneamente duas opiniões que se cancelam mutuamente, sabendo que se contradizem, e ainda assim acreditar em ambas; usar a lógica contra a lógica, repudiar a moralidade e apropriar-se dela, crer na impossibilidade da Democracia e que o Partido era o guardião da Democracia; esquecer o quanto fosse necessário esquecer, trazê-lo à memória prontamente no momento preciso, e depois torná-lo a esquecer; e acima de tudo, aplicar o próprio processo ao processo. Essa era a sutileza máxima: induzir conscientemente a inconsciência, e então, tornar-se inconsciente do ato de hipnose que se acabava de realizar. Até para compreender a palavra "duplipensar" era necessário usar o duplipensar."

Depois de tudo isso, não vou conseguir explicar tudo o que tem no livro, porque é muito, e eu recomendo: LEIA ESSE LIVRO! Livro necessário para qualquer um que goste de ler, eu recomendo MUITO. Se quiser, existe o filme também, mas, como sempre, o livro é melhor que o filme.

Bom, se você gostou, compartilha no face, twitter, sei-lá-onde, fale para seus amiguinhos, siga o blog lá no twitter: @meucontodefada, e também: @IgorFriedmann, e até!

Bjunda!
 Igor Friedmann

Leia esses também

14 comentários

  1. Essa é uma leitura altamente recomendada e que sempre fico enrolando para começar. Fico imaginando o autor pensando no futuro e imaginando se tudo aquilo fosse possível. Ainda vou ler esse livro pois parece ser do tipo que tem verdades camufladas com diálogos reflexivos.

    Beijos,
    Bell

    http://contosdoguerreiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bell, pode ler, é meu segundo livro favorito (só perde pra Nárnia), é um livro que você fica tenso o livro inteiro, e o final te deixa de boca aberta e pensando muito!

      Excluir
  2. Já vi varias resenhas desse livro, mas só agira me interessei por ele! Muito boa sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Daynara, fico feliz em saber que convenci alguém!

      Excluir
  3. Nossa, estou pra ler esse livro faz tempo. Meu marido também leu e adorou. Obrigada por me lembrar dele! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, Carla! É sempre bom saber que alguém vai ler.

      Excluir
  4. Ainda não li esse livro, mas gostei da resenha e das fotos
    http://toobege.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Li a Revolução dos Bichos e gostei muito, agora quero ler 1984 porque deve ser ótimo também! Gostei da resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Revolução dos Bichos é ótimo, junto de1984, apesar de serem os únicos que eu li

      Excluir
  6. Nossa, eu nunca tinha lido nenhuma resenha desse livro (por nunca ter me interessado), mas eu adorei a resenha e a temática do livro. Com certeza colocarei na minha lista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode colocar Beatriz, se for comprar, é dinheiro bem gasto.

      Excluir
  7. Ana Júlia Carmona11 de outubro de 2014 01:15

    Parece ser um livro bem complexo, que eu demoraria um século para ler e entender haha Mas eu achei um enredo muito bom, talvez eu goste!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No começo ele é meio díficil, mas no final, tudo se explic, recomendo bastante Ana.

      Excluir
  8. Esse livro é louco!!! Terminei de lê-lo há umas semanas e até agora não tive coragem de escrever a resenha. Parece uma tarefa dificílima colocar em palavras o que foi a leitura dessa obra. São tantos detalhes!!! Fui conquistada desde as primeiras páginas. Sensacional!!

    Carol
    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir

Seguidores